quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Meu amor eu...


E me vejo em seus braços, como se fosse um refúgio. Um porto seguro. Te vejo e me sinto como criança. Um frio na barriga. Uma vontade nada branda de sorrir. Um querer sem limites. Sem pressa. Com urgência. Que nasce num beijo e mordidas de amor. Mas sei que é só enquanto o sol não acorda.

Patricia Thomaz


"Calma aí
 Pera aí
 Não espere tanto desse amor

Outra vez
 Sem sentir
 Corro para os braços que me largam
Na tristeza de sentir
 Tanta solidão acompanhada por aí
 De tanto amor pra dar

 Não vou mais chorar
 Não quero dizer mais nada de mal

Olha aqui
 Meu amor
 Não se esqueça nunca que eu tentei

Sem rancor
 Sem mentir
 Sempre fiz aquilo tudo que te prometi

Meu amor
 Foi tanto amor
 Que eu quis que fosse eterno até morrer
 Mas sei que foi enquanto em mim durou

Talvez nós dois
 Sejamos um
 É fato que se consolidará
 Num novo amor
 O nosso amor, amor".

[Monique K.]


quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Tudo bem?

E como se não soubesse a resposta, ele pergunta.
E como se não tivesse sentido saudade, ele pergunta.
E como quem quer ficar, ele pergunta.
E como se importa-se, ele pergunta.
E como se não fosse mentir novamente, ele pergunta.


E ela ainda responde.

domingo, 20 de outubro de 2013

o que não se sabe.

Ele não sabe, mas ela ainda o ama.
Mas não quer mais amar.
Ela não quer mais se iludir.

Ele não sabe, mas ela chorou a dor.
E já não quer mais.
Ela se entregou por amar.

Ele lhe cobra amor, mas esquece de ficar , mas ai se ela cobrar.
O silêncio perdurou após um beijo.
Ela já não quer fingir não ver.

Ele ficou confuso com a confusão dela.
Se irritou: " foda-se"
Ela se calou, e calou, calou...


 Ele não sabe, mas esse foda-se foi o fim para ela. O seu ponto final. A última lágrima que morreria em sua boca. Um olhar. Um piscar. Uma porta se fechando. O Adeus.




quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Com o tempo você percebe...

que sua decepção é do tamanho da sua expectativa.

quem mas te magoa é quem você mais confia.

que o que pensa ser certo, para o outro é o errado.

que as pessoas só mudam quando quebram a cara.

que o agora já é passado. 

que o fim é um novo começo.



sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Dear,
a quanto tempo não escrevo. Os dias tem sido corridos. As horas pesadas e gastas. Mas de todo, não tem sido ruim. E eu estou sorrindo. Você viu. Meu olhar mudou. Minha pele. Tenho novos amigos. Eles são divertidos. E me entendem.Me fazem sorrir. Não como você , mas... Você diz que fico mais bonita. Realmente esse tempo que olhei para mim me deixou mais leve. As vezes me esqueço e tento levar o mundo nas costas. Você sabe das minhas responsabilidades. Não são fáceis. Mas então eu fecho os olhos e volto a sonhar.
Estou escrevendo porque quero que saiba o quanto é importante para mim. Nada vai mudar isso. Nem ninguém. Fico contente quando vejo você sorrir. A gente sempre quer ver bem a quem se ama. A gente quer cuidar. Aquecer. A gente chama atenção e da colo quando precisa. Perdoa. Desabafa as dores do mundo. E as vezes só deixa que as lágrimas caiam enquanto segura a sua mão. Mas as vezes a  gente se afasta de quem se ama. Não porque quer. Porque é preciso. Não para esquecer. Não se esquece. O tempo não cura. Quando dói, dói com a mesma intensidade. Só aprendemos a ser mas forte que a dor. E vai deixando de ser lembrado com tanta frequência.
Tem acontecido tantas coisas. Umas boas e outras não. Queria te contar com calma.Queria te contar sobre meus sorrisos e meu cansaço. Só queria te contar mais... As vezes não consigo contar tudo, é tanta coisa.  Quem sabe amanhã seja mais calmo e eu não saia correndo para o trabalho enquanto você chega. Ou eu fazendo o almoço enquanto descansa na cama. Ou que ao menos que não estejamos tão fora de área, ou quem sabe um café a dois.

Outras intensidades

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...