segunda-feira, 22 de julho de 2013

Sobre nós dois

Entre
Não repare a bagunça
Me conte o novo
Que te conto minhas bobagens
Não deixe o medo entrar
O que tenho já me basta
Mas se ele te seguir
Não desvie o olhar
Me roube um sorriso 
Mas só depois de querer ficar
Então me mostre um caminho
Me mostre o que é o amor
Que eu te mostro a felicidade
Me mostre como ficar
Só não solta da minha mão.



segunda-feira, 15 de julho de 2013

Esvaecer

E vai caminhando coberta de céu azul e uma luz dourada bonita. Vai com os passos calmos. Sem pressa. Um silêncio e nada mais. Que pudesse explicar. Queria algo de paz. Ou algo diferente de vazio. Quem sabe o que se passa onde não se pode tocar. É uma vontade. Um querer de lutar por algo que perdure. Uma vontade  inquieta de ser feliz. Do agora.

O sol ainda não acordou e ela procura em sua gaveta qualquer coisa que lhe faça se encontrar. Um livro. Uma foto. Um CD. Talvez Maná, Marjorie, Megh stock, Nickelback ou até mesmo em Savage Garden. Só queria lembrar dos tempos bons. Só queria ser ela. Sem ter que se preocupar. Sem ter que crescer.Sem inveja. Sem maldade. Sem ter que ouvir qualquer grosseria que a corroa por dentro. Um lápis, um papel e uma música para inspirar. Um desenho, um texto ou uma dança. Sentia falta de algo. Como se tivesse perdido, mas sabia que estava ali e só não encontrava. Chorou. Como se resolvesse qualquer coisa, mas chorou. Pelo passado. Por hoje. Pelos planos que se desmancharam e os que ainda permaneciam. Chorou até não saber mas o motivo.
Colocou um roupa no corpo e saiu. Sem querer saber pra onde ou porque. Só andou pelas ruas com olhar perdido procurando explicação. Procurando algo que a preenche-se. Sabia que não era  fácíl se desfazer do que se viveu. Mas você podia fazer um novo caminho ou seguir pelo mesmo com novas cores ou novas músicas. Poderia plantar uma roseira onde não tinha, uma janela pra deixar o sol entrar e uma árvore para aliviar o cansaço dessa vida passageira. Não conseguia simular felicidade, mas podia [pode] fazer o melhor. Só não podia mas ficar em cima do muro esperando que algo de bom acontecesse. Pois o seu tudo podia ser o nada para alguém agora. Mas em algum lugar esse tudo faria sentido.
E sai assim caminhando olhando para o céu. Talvez sorrindo. Talvez sonhando. Naquele infinito azul com floquinhos de algodão ela encontrou algo que precisava para continuar. Talvez ela só precisa-se ser salva.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Me faça entender

O que é ser importante...
O que é saudade...
O que é não poder ficar longe...
O que é sentir ciúme...
O que é querer fazer feliz...
O que é querer estar perto...
O que é olhar uma roupa ou algo e lembrar...
O que é querer contar tudo...
O que é dividir a sua felicidade, por menor que seja...
O que é não magoar...
O que é um beijo demorado...
O que é pegar no colo...
O que é querer cuidar...
O que é para você?

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Leve tudo


As palavras doces
As amargas
Os sonhos
As ilusões 
As cartas
As brigas
E as reconciliações
O mel
O fel
O sorriso
A lágrima
A primavera
O inverno
Março
E Setembro
As roupas
As flores
A poeira
O nada 





                                                         E você.





Outras intensidades

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...