quinta-feira, 31 de maio de 2012

em seus braços.

"A vida era difícil mas juntos tudo estava bem
Algumas brigas claro mas isso é tão normal quando se quer alguém
Como eu quis você... "

foto google


Mais uma vez ele pediu desculpa pelos seus erros. E assim, com suas lágrimas inquietas, em seus braços ela ficou. 


Patricia Thomaz
foto google
Sabe, ela ainda continua olhando para trás. Não para se machucar mais. É para não fraquejar. Para não repetir o erro.

Patricia Thomaz

domingo, 27 de maio de 2012

foto google

Um sorriso. Era o tudo que se via. Era o que havia de verdadeiro. Mãos entrelaçadas, formando a fortaleza. Havia cansaço. Havia esperança e palavras doces. Dessas quando se foge de tudo e de todos. Haviam planos, beijos e abraços enamorados. E não havia mais nada. Além das lembranças. E o sonho sempre ficava sozinho, na espera de um dia não ser só. 
Não haviam mais palavras, só haviam o peso delas. Têm um gosto amargo. Mas a gente sabe que enquanto houver uma pontinha de sorriso, há esperança que o amanhã vai ser melhor.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Em frente

Vou empurrar a minha vida hoje
Empurrar para abrir um caminho melhor
Vou empurrar porque preciso seguir em frente [ Lenny Kravitz]

foto google




E as horas passam e você caminha com os pés fora do chão. Você sorri contando os passos para um sonho se realizar. Você apenas sorri. E sua vida toda se resume a aquele momento. Seus olhos brilham... Te empurram . E você cai. E com os pés no chão você tem que fazer uma escolha.Já não tem forças. E você resolve desistir de tudo e se vê perdida. Então te seguram pela mão e você vê que não esta sozinha. E mesmo assim você sente falta de alguém, mas quando você olha de novo você percebe que quem realmente importa e se importa esta ali ao seu lado. Nos momentos mais difíceis e nos outros também. E você segue em frente. Com passos leves e medrosos. Até o raiar de um novo dia que trará esperança e caminhos nunca visto. Olhando pela janela, sente medo. Sonha com um amor. Desses com finais felizes. Mãos dadas, sorrisos, abraços e beijos. Daqueles onde não é preciso uma palavra. Apenas um olhar.

domingo, 20 de maio de 2012

Patricia Thomaz




" os meus sonhos, o vento não pode levar
a esperança, encontrei no Teu olhar
os meus sonhos, a areia não vai enterrar
porque a vida recebi ao Te encontrar...
...nos Teus braços não importa o tempo
só existe o momento de sonhar
e o medo que está sempre à porta
quando estou com Você
Ele não pode entrar..."

Mais ninguém


Só ele conheceu uma mulher corajosa que admitiu todos os medos,
todas as neuroses, todas as inseguranças, toda a parte feia e real
que todo mundo quer esconder.
Ninguém nunca me viu tão nua e transparente como você,
ninguém nunca soube do meu medo de
nadar em lugares muito profundos, de amar demais, de se perder
um pouco de tanto amar, de não ser boa o suficiente.
Só ele viu meu corpo de verdade, minha alma de verdade, meu prazer de verdade,
meu choro baixinho embaixo da coberta com medo de não ser bonita e inteligente.
Só para ele eu me desmontei inteira porque confiei que ele me amaria mesmo eu sendo desfigurada, intensa e verdadeira, como um quadro do Picasso. 
[ Tati B.]

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Foto google

Os dias vão passando e já não é tudo tão igual. Não é tudo vazio e nem triste. Existem ombros para encostar e  mãos para me segurar. Elas não se encaixam como  as ... Nem me fazem tão segura. Eu tenho medo de errar, mas tenho mais medo de não seguir o meu coração. E ele esta tão cansado e tão gasto de falsas palavras. Promessas de um amanhã que não chega. Palavras soltas ao vento. Que as vezes ele só quer respirar. E os espaços, preenchidos. Então eu deixo entrar novos sorrisos e finjo não ver as as coisas erradas que faz, finjo não me importar[até não mais me importar]. Então assim, meio de relance, lembro do passado e dos momentos bons como esse, há poucas horas em seus braços. E então você faz tudo errado de novo, pede desculpas, e diz que é por medo da solidão.









Autor desconhecido

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Ah! Meu rapaz

"Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz" [Chico Buarque]

foto google



O dia já raiou
Vejo na janela  as margaridas dançarem
Sorrio lembrando de ti
Levanto com pressa
Tomo um gole de café
Faço um bolo de chocolate.

Tomo banho
Escuto música alta
Danço
Preparo o almoço
Te espero na sala
Com meu vestido rendado
Cabelo solto nos ombros
E com aquele perfume que gosta.

Chega assim devagarinho
Me abraça apertado
Me pega no colo
Me enche de beijinhos
Fazendo cosquinhas e
Vemos filme .

Falamos de amor baixinho
Acaricia meu corpo
Desvendando meus segredos
Dormimos de conchinha
Abraçadinhos sem medo dos nossos problemas.

Então as horas passam
Você entrelaça suas mãos na minha
Me olha daquele jeito doce e
coloca meu cabelo atrás da orelha
Morde minha boca e
deita nos meus ombros pedindo colo.

Caminha olhando pra trás,
Com lágrimas nos olhos,
vendo se eu ainda estou ali
Se vou sorrir ou não
Levando um pedacinho de mim.

Nos falamos ao telefone
Me conta dos filmes, dos dias, das coisas erradas que não quer mais fazer
Me pede desculpas e fala de saudades
Dos planos, dos tombos
E me promete que amanhã...
Amanhã
tudo vai ser melhor...

Ah! Esse meu rapaz.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Pequenas mudanças

[foto google]


Mudar é difícil...Mudar não significa fugir. E é preciso ter coragem para fazê-lo. É preciso sonhar novamente. Como disse Fernando Pessoa:

" Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o! "

domingo, 13 de maio de 2012

[foto google]

[foto google]

Patricia Thomaz

Patricia Thomaz

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Ana

 "Onde já se viu o mar apaixonado por uma menina? Quem já conseguiu dominar o amor? "


[foto google]



O vento era frio. Parecia que iria chover. Havia algumas nuvens cinzas. E por mais que a lua estivesse linda. Não era possível vê-la em seu completo esplendor.
A música era a mais doce que se pode imaginar. Falava de amor. Lhe fazia querer chorar. Ela que tantas vezes se imaginou protagonista daquela música. Hoje não quis mais ser. Queria algo que não sabia explicar. Sentiu, não sei ao certo, um vazio.
As pessoas passavam por ela. Esbarravam, puxavam seu braço e falavam qualquer coisa que ela não queria saber. Ela parou em meio a multidão e tampou o rosto. Sentiu um vontade enorme de gritar e sair correndo mais ali era como se declarasse ser louca. E ela já não podia aguentar qualquer tipo de problema. Alguém a chamava: 
- Ana...Annnaaaa...Ana? ( segurou em seu ombro) Pensei que tinha me perdido de você.
- Desculpa, precisava me encostar um pouquinho. Estou um pouco cansada.
- O quê vamos fazer agora? Ainda esta cedo.
- Não sei... O que acha de andar um pouco pela areia enquanto decidimos.
- Ta bom
 Foram caminhando pela beira do mar falando qualquer coisa dos dias repetitivos. Fazendo planos de dias bonitos. De pôr do sol. Mãos dadas. De sonhos. Esperanças e de se deixar permitir ao novo. Dessas coisas de quem quer tentar, ao menos, ser um pouco feliz. Gargalhavam por besteiras qualquer. E nem viram a onda  chegar, molhando suas roupas e  fazendo sentir mais frio de novo. Correram e sentaram nas pedras que estavam mais a frente, tentando fugir, mas já não adiantava. Suas roupas estavam molhadas e o vento aumentava o frio que arrepiava. Se olharam e começaram a rir novamente. Dois jovens se aproximaram. Um tinha os olhos azuis o outro um cabelo negro que brilhava. Chegaram fazendo fazendo qualquer comentário da lua e de como estava bonita. Elas cumprimentaram. E sentaram falando sobre... Sobre... Ana não prestou atenção em nada. As vezes sorria com o canto da boca  para disfarçar. Não conseguia parar de olhar para o mar, as ondas se formando, o som que parecia sussurrar em seu ouvido a chamando. Aquilo parecia a acalmar. Lhe fazia muito bem. Como se ali fosse seu lugar. Seu lugar. E Ana sorriu. Mas sorriu de verdade. Então aquele de cabelo negro pegou em sua mão e disse : " - Seu sorriso é lindo. " Ela tirou sua mão cruzando os braços, o olhou e agradeceu com um sorriso. Suzy chamou: "- Então! Vamos? Eu estou morrendo de fome." Foram caminhando para a calçada, mas Ana ainda sim olhou algumas vezes para trás. Como se estivesse esquecido algo.

sábado, 5 de maio de 2012

quarta-feira, 2 de maio de 2012

O dia pra sonhar.

" A felicidade é como a gota
De orvalho numa pétala de flor
Brilha tranquila
Depois de leve oscila e cai como uma lágrima de amor. " [Tom Jobim]

[foto google]
Faz poucos minutos que saí da cama. Chuvisca. Gotas delgadas e leves que me fizeram arrepiar com o frio. Peguei meu casaco no armário e fiz um chocolate quente, desses pra começar bem o dia.
Senti uma vontade de correr para seus braços e te contar sobre meus dias. Contar as coisas que não conto pra ninguém além de você. As vezes, parece tão simples. Só, as vezes, eu queria que fosse. Tentei imaginar aquele caminho que a gente sonhou, mas não consegui. Pensei em coisas diferentes. Um novo caminho. E vi em alguns momentos o quanto amadureci e em outros como ainda sou uma menina.  Mas os problemas me fizeram mais fortes. Ainda sim tenho repentes que me inquietam o coração e me doem. Assim como você. Como se viesse para estragar o dias bons.
Cortei os meus cabelos. Queria mudar um pouco. Pintei minhas unhas, coloquei um vestido branco  rodado e um laço no cabelo. Vou me encontrar com as meninas a noite. Fiz meus trabalhos do curso e escutei aquelas músicas que amo e você também. Escutei a nossa música também. Aquelas de café e pequenos detalhes de amor que me mandou. Enquanto escrevo essas palavras bobas , consigo sentir o cheiro daqueles dias de céu azul. Seu perfume ainda esta no meu travesseiro e nos lençóis.
Sabe têm tanta coisa pra fazer. Mas hoje eu já nem quero. Quero esse pra sonhar. Pra pular corda e jogar pedrinhas no mar. Fazer das nuvens algodão doce e cantar. Dançar devagarinho sem medo de errar. Pra falar besteiras e rir sem parar. Só o que me faz voar.

Outras intensidades

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...