segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Sem olhar para trás.

" Mas as pessoas nas fotos estão tristes, e sozinhas, mas as fotos fazem o mundo parecer bonito. Então ficam exibindo, o que torna isso uma mentira, e todo mundo ama uma grande mentira."[ Closer ]


- Oi! Faz tempo que não nos falamos. Como você esta?
- Estou bem. Muito feliz. rs
- Ah!!! É... Ana me contou. Mas deve ser ruim passar por tudo isso, né?
- Tudo isso o que?
-  Juan. Ele ter feito isso com você. E ainda falar que você é louca. Mentir e que nem se lembra.Você é muito forte.
- Mas... Mas... Não. Não foi isso... Ele não fala isso. Nós vamos bem. E ele cuida de mim. Ele não mente pra mim. Sou a pessoa que ele mais confia. Isso tudo é... besteira.
- Desculpa. Só você ta falando isso. Ana, os amigos dela, enfim... é o que estão falando. Eles falam mal de você. Mas que bom que não é verdade então. Pois mesmo longe gosto muito de você e quero ver esse sorriso sempre . Não merecem suas lágrimas.
(Foi embora com as mãos no bolso e os passos vacilantes olhando para trás.)
- Segurando as compras do shopping ela sentou no banco e chorou. Chorou, mas foram poucas lágrimas, porque não podia acreditar. Não ele. Não ele que lhe enchia de beijinhos e lhe pegava no colo e lhe falava coisas bonitas. Não ele. E então lembrou das mentiras do passado . Lembrou da dor. E decidiu que não ia ser igual. Nunca mais. Fechou os olhos arrancou o colar que lhe deu do pescoço e jogou no chão. E nem se quer olhou para trás.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Ver o sol nascer para enfim fechar os olhos.

" As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem em seus caminhos. "
[ Clarice Lispector ]
 Eu queria escrever algo que lhe trouxesse sorrisos. Como os de ontem. E olha que o sol havia se escondido atrás das nuvens cinzas. Mas aqui dentro tudo era brilhante. E ainda assim não bastam...  As lágrimas vão se perdendo com o passar dos dias. E aqui vão ficando sorrisos de sonhos bons, lembranças e amores. Antigos e novos. Uma mistura bem doce. Meus olhos vêem um motivo diferente. Talvez uma fantasia, mas vou tornar ela minha realidade. E não importa que não entendam ou não vejam. Não sei. Aqui vai ter mais que cinza. Tenho ficado quieta, mas agora eu quero gritar. Quero viver. Sonhar. Amar depois de amar. Antes que os dias acabem e a hora chegue. Quero ver o sol nascer para enfim fechar os olhos.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Lado a lado.

Cruzo as ruas vazias durante a noite
Mergullho entre sonhos e lembranças
E as vezes me perco no que esta do lado de dentro
E o que não vem de lá
Desmancho
Lado a lado com os pingos leve da chuva
Que me tira todo o peso
Descubro então que não é tudo tão vazio.
E quanto mais me encontro
Mas gosto da chuva
Mas gosto da noite
Com os pés cansados e a alma leve
Encho meu coração de esperança

sábado, 14 de janeiro de 2012

day dreaming

"São saudades de um mundo contente feito céu estrelado. Feito flor abraçada por borboleta. Feito café da tarde com bolinho de chuva. Onde a gente se sente tranquilo como se descansasse num cafuné. Onde, em vez de nos orgulharmos por carregar tanto peso, a gente se orgulha por ser capaz de viver com mais leveza."
Ana Jácomo

Saio do banho com o corpo leve . O céu esta quase todo azul. O vento hoje trouxe saudades. Tão doces. Que fechando meus olhos, por alguns instantes eu voei. Detalhes de um passado bom, onde meu mundo era bem mais colorido e minha janela repleta de flores. Todo dia era dia de sonhar. Lembro de passear pelo gramado verde e de me refrescar a beira do rio. De cantar baixinho ao vento. Como se ele trouxesse meu amor. Lembro de prender meus cabelos compridos e enfeitá-los com flores. De sair correndo pra aula de canto e  piano. Da roda de violões com amigos e a esperança de um mundo melhor. Das noites com céu estrelados e conversas no portão. De simplesmente viver. Viver além dos sonhos.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

One reason



Era madrugada. Havia andado a noite toda pelas ruas. Via os rostos conhecidos e lembrava de momentos bons. Comprou uma garrafa de vinho, desses suaves e sentou-se aos pés de uma árvore no meio fio. Ficou ali por um tempo, olhando os carros que iam e viam. Queria forças. Queria não seguir o seu coração. Queria, quem sabe, não mais sofrer. Lutando com a razão e sua emoção. No silêncio de sua dor, havia uma certeza que a vida não poderia ser a mesma. Nunca mais. O dia já ia clareando. Logo ele iria despertar. E tudo que queria era que o tempo esperasse que acabasse suas dúvidas ou pelo menos lhe permitisse respirar um pouco.
Com o passo acelerado foi pelas ruas com a cabeça baixa e ouvindo música. Pegou as chaves e abriu devagar o portão. Entrou pelo corredor lateral. Não queria acordar ninguém ou não queria ouvir ninguém.Subiu as escadas com os passos leves. A chuva fina ia deslizando pelo seu corpo. Já nem se importava com o vento frio que lhe fazia morder os lábios. Gostava da chuva. Do sentimento que lhe trazia. Ergueu os olhos do chão e viu as nuvens cinzentas sobre sua cabeça.  Tirou o capús da cabeça e soltou os cabelos. Olhou novamente para  o céu e estranhamente sorriu.
Tirou a roupa molhada, o tênis e  se secou  com a toalha pendurada no varal. abriu vagarosamente a porta do quarto e deitou-se. Antes que o conseguisse dormir o relógio desperta. Ao seu lado alguém sussurra " Bom dia ". Se olham por alguns segundos e  ela beija-lhe o rosto carinhosamente e ele volta a adormecer.  Levanta coloca sua roupa e em cima da cama deixa uma carta. Ele acorda com o barulho da porta se fechando e vê um bombom e uma carta dizendo:
Estou me perdendo em algum lugar dentro de você. Me envolva em seus braços e espante meus medos. Sei que já não sou tudo o que você sonhou. A vida nos mudou, você sabe. Mas você faz tudo ficar mais fácil e vou enfrentando outro dia. Sei das mágoas e que existem diversos motivos pra você ir embora. Mas... Mas se você conseguir achar um motivo para ficar. Se encontrar... Fique.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Saudosas tardes.

" Some days i feel that i exude a fine dust
like that attributed to Pylades in the famous
Chronica nera areopagitica when it was found " (Frank O'Hara)





A janela esta aberta e o vento que entra por ela faz lembrar o campo. Me faz querer cavalgar sem rumo sentindo o aroma das flores . Dias bonitos. Coisa boba para algumas pessoas. Mas só quem vive sabe o segredo.  Queria sentar aos pés daquela árvore que um dia escrevi meu nome dentro de um coração. E ficava ouvindo música e planejando meu futuro. Lia alguns livros encantados. Onde construía sonhos coloridos. Doces sonhos... Também ensaiava alguns passos. Passos... Se soubesses das pedras que haviam no caminho, teria aproveitado um pouco mais. Talvez não fizesse diferença, mas ao menos teria tentado.

Outras intensidades

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...