segunda-feira, 30 de maio de 2011

ponto final.

Parecia um filme com cenas curtas e no final um gosto amargo do receio. Viu sonhos que poderiam nunca se realizarem .Então, começou a escrever algo que a fizesse mudar tudo. Mas não mudava nada. Nada. Sempre que aquelas cenas lhe viam a mente o final lhe fazia chorar. E pensou em como queria sentir o coração vibrar. Se sentia pela metade.Talvez porque nunca disse adeus. Talvez porque ainda o amava. Talvez... Talvez... Talvez já não a bastava,era vago demais. Respirou fundo como se lhe houvesse faltado o ar. Começou a desenhar no guardanapo. Atrasado, como sempre, ele beijou-lhe e acomodou-se ao seu lado como se tudo estivesse normal.
- E aí? Peço o que para você?
- Já pedi. - (cansada, ela só pensa em gritar para ver se ele presta atenção)
-To morrendo de sede.
-Também. -( Ela bebe seu drink de uma única vez. Tira o cordão que ele lhe deu e joga dentro do seu copo de whisky.)
- Porra! Você ta maluca?
- Nunca estive mais sã. - ( Levanta e soltas os cabelos. Beija os lábios vermelho do moreno sentado no balcão do bar, que a olhava fazia horas.)
- O que pensa que esta fazendo? - (a puxando pelo braço)
- Vivendo...vivendo... Obrigado por tornar mais fácil esta noite. - (sai pela porta sorrindo e pega um táxi.)
- ( Ele corre para alcança-la, mas não consegue. Só encontra no chão um papel escrito  ADEUS)


sábado, 21 de maio de 2011

guess not anymore ...


Me perdoa esses dias agitados
Te queria sem pressa
Repousar em seus braços
Ser sua por inteiro
Te faria vaidoso
Na manhã seguinte
Te mimaria de novo
Como hoje.
Colheria lindas flores
Tocaria piano e
Dançaria também
Veríamos outros filmes e
escreveríamos um ao som de jazz.
Tomaríamos um café
em frente a lareira e...
Mas não sou dona do tempo.
Ao redor
Um mundo de mentiras te rodeiam.
Lá fora o sol ainda brilha
Mas eu nem senti seu calor
Eu era tudo o que você queria
Vi um mundo de mentiras
E eu mergulhei nessas mentiras
Sofri
Mas o maior mal quem sofreu foi você...
Foi você meu amor.
Acho que não quero mais, meu amor.
Não no mundo de mentiras.





Não quero mais esconder,não mais.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

yearning.

A vida é assim. Hoje estou sorrindo e amanhã também , mas depois pode haver apenas a dor. Não quero saber que dia é hoje ou que roupa estou vestindo. Quero dormir até mais tarde, tomar um banho quente, tomar um café e comer torradas. Saborear o bolo de chocolate e lamber os dedos. Rever velhas fotografias e sorrir das lembranças boas. Chorar de saudade também. Pegar as partes de você e  guardar em uma caixa bonita. Colher uma rosa e enfeitar o cabelo. Escrever uma canção ou qualquer coisa que me faça voar. Não vou atender o telefone. Também não vou ver você. Não vai me ver irritada com suas palavras duras ou com suas mentiras. Não vão haver mais lágrimas depois. Depois, mas agora vou escutar nossa música e me despedir. Te deixar ir. Me permitir seguir. E quando a primeira estrela brilhar no céu vou chamá-la de saudade. Saudade de você.
Mas por agora vou apenas sonhar um pouquinho...

terça-feira, 10 de maio de 2011

Só para te lembrar...

 Um sorriso nasceu em seu rosto. Já passava das 9hs.Eu acho.Para mim um sonho. Tudo estava perfeito. Nossos corpos,seus beijos, nossos desejos.Você me acordou com carinhos e beijinhos. Ainda estava descabelada das nossas juras de amor. Seu blusão azul, me caiu bem[rs].Nos seus braços eu tenho a paz.  Pensei em como eu queria parecer com você, mas não precisava, fazia parte do seu mundo. Era um motivo para você sorrir. Não é difícil te amar, mas impossível te esquecer e saber que nunca me esqueceu me faz muito feliz . O amor é estranho, as vezes é preciso deixar rolar algumas lágrimas para se enxergar o coração. Vejo além,meu amor. Me vejo em você. E eu espero que saiba que eu o amo demais.Só queria te lembra, mesmo que  meus sussurros não te confidenciam como hoje, meu corpo vibrará em silêncio...

domingo, 8 de maio de 2011

 [E lá vai deus sem sequer saber de nós
saibamos pois
estamos sós.
Marcelo Camelo]



Um amor entre seus braços,sonhos...ele vai. Vai agora pela rua fria com um cigarro entre os dedos e um sorriso no canto dos lábios[se amam...continuam se amando]. Os mesmos lábios que acariciaram meu corpo. Seu toque. Seu sabor. Meu corpo estava imóvel. Meus olhos acompanhavam cada movimento. Cada um. mesmo sabendo que isso me matava aos poucos. Virou a esquina. Um olhar triste e um tchau tímido.Um sorriso. Já havia perdido de vista quando uma lágrima caiu. amanhã tudo será igual, mas não estarei mais lá para te ver partir... vou com você.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

margarida...


No criado mudo, um jarro com margaridas. Lindas margaridas brancas. Como Amanda gostava. Achava tão alegres, mas fazia muito tempo que não recebia flores.
Jogou a bolsa no sofá, pendurou as chaves e o casaco. Chovia muito. Estava encharcada. Tirou a roupa molhada e jogou no cesto de roupa. No rádio o som MPB embalava o final da tarde. Fechou as janelas. Abriu o chuveiro e deixou a água deslizar pelo seu corpo. Podia sentir as gotas quentes da cabeça até a ponta dos pés. Lhe fazia leve. Enxugou seus cabelos e se enrolou na toalha. Sorriu ao perceber que mais uma vez havia esquecido de pegar a roupa. As luzes estavam apagadas, parecia não haver mais ninguém em casa. Só havia o som da TV ligada no quarto.
Na cama alguém esperava com a cabeça baixa. Ela não acreditou. Pulou na cama como uma criança e beijou-lhe o rosto. Porém ele permanecia sereno. Viu algumas lágrimas rolarem e uma voz trêmula dizer - " te perdi... te perdi há muito tempo...te magoei muito, mas quero acertar...eu...eu to tentando" - Amanda se encolheu ao lado dele. Sentiu a ferida se abrir. Já sabia toda a verdade e apesar de doer muito, não sentia raiva dele. Queria dizer tudo o que sentia, o quanto ainda o amava, mas não conseguia. As palavras se perdiam entre os dentes. Ele deitou em seu colo e ela acariciando seus cabelos negros sussurrou em seu ouvido -" você não me perdeu ". Ele sorriu e disse - " ela me ama ".
O celular de Amanda estava tocando em cima da mesa do computador. Foi atender, mas a ligação estava ruim. Sentiu um toque suave em seu rosto.Deslizando pelo corpo fazendo a toalha cair.Assim como o celular. As roupas estavam espalhadas pelo quarto. Ele pegou uma margarida e deslizou pelo seu corpo como se ela fosse a chave para abrir todos os segredos. Corpos entrelaçados. Respiração ofegante. Corpos suados, sorrisos...
-Você é minha flor, morena. Eu nunca te esqueci.


Flor do Horizonte



Outras intensidades

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...