segunda-feira, 30 de agosto de 2010


Tão bom
Muita luz
Felicidade tão minha
Sua
Ficaria o tempo necessário...

Seu sorriso
Meu olhar
Ah! Solidão
Adeus
Você e eu pra sempre...

Desmancho o silêncio
Embalo uma canção
Envolvo-me nos braços
Descanço
Deixo a felicidade vim...

sexta-feira, 27 de agosto de 2010





" Talvez um voltasse, talvez o outro fosse. Talvez um viajasse, talvez outro fugisse. Talvez trocassem cartas, telefonemas noturnos, dominicais, cristais e contas por sedex (...) talvez ficassem curados, ao mesmo tempo ou não. Talvez algum partisse, outro ficasse. Talvez um perdesse peso, o outro ficasse cego. Talvez não se vissem nunca mais, com olhos daqui pelo menos, talvez enlouquecessem de amor e mudassem um para a cidade do outro, ou viajassem junto para Paris (...) talvez um se matasse, o outro negativasse. Seqüestrados por um OVNI, mortos por bala perdida, quem sabe. Talvez tudo, talvez nada "
Caio Fernando Abreu

terça-feira, 17 de agosto de 2010

bem...

Lentamente ela abriu os olhos, estava feliz no aconchego dos braços de seu amado. Sim é mais um desses dias comuns, mas para ela era especial , como todos ao lado dele apesar dos erros do passado . O sol já iluminava suas curvas. O cheiro do café, que vinha da cozinha, lhe  lembrava que estava com fome e um desejo imenso de deliciar o bolo de chocolate que fizera na noite passada.
Saiu delicadamente dos braços envolventes, beijou-lhe e sorriu quando ele sussurou - " esta cedo amor "- cobriu-o . Abriu o armário calmamente para escolher uma roupa leve, apesar de seus cabelos vermelhos cobrirem os seios.Vestiu o blusão quadriculado ainda com o perfume de cereja  do cigarro , ela sabia que ele adorava.
Voltou para o quarto com sua caneca preta de vidro e o café forte. Admirou-o enquanto dormia e sentou-se na janela, olhou para seu interior e viu o mundo, mas um mundo muito mais de sonhos do que de realidade. Lá tudo a fazia bem e a fazia amar.
Já havia sofrido com o passado... e seu amor já a conhecia o suficiente para modificar a realidade e saber o que lhe fazia bem. Mas também sabia que algo lhe fazia respirar em seu novo canto,talvez um alguém que fica a admira-la no outro lado na rua, com um desejo intenso e um sorriso encantador, quem sabe um amor puro. Pena  ela esta cega por um amor verdadeiro errado...
Lembrou então de seus livros de romances, da poltrona no canto da varanda e como se encontrava nas personagens fictícias de seus livros. Se sentia traduzida e por muitas vezes se sentiu no lugar errado.Em sua frente suas lembranças dançavam em sua mente e se esforçou para recordar cada detalhe e por fim a saudade a abraçou quando percebeu que a felicidade também pode ser a tristeza... Uma lágrima se misturou ao café já frio. Enão com um carinho suave ele secou suas lágrimas e disse:
- Deixa eu te fazer feliz hoje
- Ela perguntou com a voz trêmula - e amanhã?
- Não importa, só quero ficar bem com você...

terça-feira, 10 de agosto de 2010

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Metamorfose



Não a reconheço.
Talvez pelas perdas ou  conquistas
Sei que correu atrás das nuvens em dias nublados e mesmo assim encontrou o sol
Frágil
Fingiu ser forte para não perder seus sonhos
Ferida
Fez curativo e seguiu, deu uma segunda chance
Caminhou
Na dúvida de suas certezas
Queria voar na noite
Com a esperança de um novo dia
Negou
percebendo que concordar com tudo para ver os outros sorrirem era acorrentar sua alma
Sorriu
Quando na dor aprendeu que o ontem é tarde  para torná-lo feliz e o amanhã não sabia ao certo...
Irradiou
quando descobriu que era fonte de luz, mesmo que tênue, finalmente disse:
- Hoje fui feliz !

Não ela não é a mesma... em si o inicío da sua felicidade.



Outras intensidades

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...